sexta-feira, 21 de julho de 2017



Recordo, com um sorriso no rosto, os intervalos passados a ouvir Linkin Park.
Serão sempre uma parte importante da minha adolescência.



I close both locks below the window
I close both blinds and turn away
Sometimes solutions aren't so simple
Sometimes goodbye's the only way

And the sun will set for you
The sun will set for you
And the shadow of the day
Will embrace the world in gray
And the sun will set for you

In cards and flowers on your window
Your friends all plead for you to stay
Sometimes beginnings aren't so simple
Sometimes goodbye's the only way

And the sun will set for you
The sun will set for you
And the shadow of the day
Will embrace the world in gray
And the sun will set for you

And the shadow of the day
Will embrace the world in gray
And the sun will set for you

And the shadow of the day
Will embrace the world in gray
And the sun will set for you


                                                                          
                                                                                           Compositor: Chester


Goodbye Chester ♥


quinta-feira, 20 de julho de 2017





É curioso como todo o mal que fazemos a nós próprios está interligado com o mal que fazemos ao planeta.
Consumimos os produtos refinados que, para que sejam produzidos, poluem o ar que respiramos, e ficamos doentes enquanto adoecemos o mundo em que vivemos.

Não sou fundamentalista.
Acredito que a felicidade e a paz interior provêm do equilíbrio.
Não sou adepta de dietas restritivas que levam rapidamente à loucura e à desistência.
O equilíbrio é fundamental!
Debati-me durante muitos anos com a questão do consumo de carne.
Fui perdendo aos poucos, muita da vontade de consumir proteína animal (refiro-me apenas à carne e ao peixe). Aliás, sou uma pessoa de petiscos e pequenos almoços e o brunch é sem dúvida a minha refeição preferida.
Decidi que tinha mesmo que investir na nossa alimentação.
O meu corpo queixava-se vezes sem conta e eu não o ouvia.
Comia por impulso, gulodice e forçava-me a consumir carne ou peixe, porque é assim que estamos formatados.
Digo novamente, que sem fundamentalismos, e com uma facilidade que me surpreendeu, passei a incluir mais verduras à refeição e menos carne ou peixe.
O consumo desta proteína animal caiu para metade.
Come-se muita sopa (que eu adorooo), repleta de vegetais, fruta, frutos secos e pão escuro (adoro pão de centeio, alfarroba e claro, a broa de milho que sabe sempre à minha infância). Mais produtos naturais, sem rótulos e aditivos e sempre que possível, de origem biológica.
Perdi a preguiça e adquiri um novo gosto pela culinária.
Sentir que estamos a cozinhar alimentos que nos nutrem, juntar ingredientes frescos, coloridos e saudáveis, é realmente recompensador. E o meu corpo agradece! E se todos nós, pararmos para pensar um bocadinho, no mal que fazemos a nós próprios e ao planeta em que vivemos, temos a chave na nossa mão para mudar o rumo. Podemos viver as nossas vidas, ser felizes e ainda assim ter consciência do impacto das nossas ações.
Não precisamos de dar uma volta de 360º à nossa vida, a não ser que queiramos, mas precisamos de nos mover um pouco e esse pouco é o suficiente para fazer a diferença.
Importem-se um pouco mais. Por nós. Pelos nossos filhos e netos. Pelos filhos e netos dos outros. Por respirar um ar puro e consumir sem medos comida de verdade. E sejam felizes. Sem medo daquilo que os outros dirão. Sem falar de dietas e mais em comer de forma saudável. Sem radicalismos, mas com consciência.


quarta-feira, 19 de julho de 2017





Esta edição limitada tão simples quanto linda que vem com um lenço maravilhoso, desenhado pela talentosa Joana.

Violeta Cor-De-Rosa, o inspirador mundo encantado da Joana.